Divaldo Franco causa polêmica em Congresso de Goiás

3

Divaldo Franco, ao participar do Congresso Espírita de Goiás, deu sua visão política sobre fatos recentes do país. E causou muita polêmica entre o movimento espírita. Veja o vídeo.

Deixe a sua opinião: concorda com Divaldo?

Compartilhe:

3 Comentários

  1. Não há o que se discordar. Apenas orar e desejar que nessas eleições próximas consigamos transformar um pouco a nossa realidade através do voto. Isto se este for respeitado e não fraudado conforme se tem apontado recentemente através das redes sociais

  2. Divaldo Franco é, indiscutivelmente, notável ser humano e um médium ao qual todos nós devemos nossa gratidão, lembrando que, por suas mãos, as grandes contribuições de Joana de Angelis chegaram até nós. Lembro, tambem, que apesar de tudo, e assim como nós, ele é um ser humano e, como qualquer um de nós, está sujeito a erros.
    Suas declarações foram, ao meu ver, profundamente infelizes pois ele falou como o espírita DIVALDO franco e não como a pessoa Divaldo Franco, falando de dentro de sua casa. O discurso deu-se em palco de Congresso Espírita, e ele fugiu da pergunta que lhe foi colocada para expor suas preferências politicas, que lhes são particulares, chegando, inclusive, a desconhecer que vivemos na República Federativa do Brasil e não em uma “república” do Estado de Curitiba. Note que usei letra maiúscula pois não me referi ao estado administrativo mas ao Estado-nação.
    Nós, espíritas, temos como dever o respeito às normas legais que regem nossa nação, ou seja, à Constituição Brasileira de 1988.
    Creio que o cidadão Divaldo Franco deveria lembrar ou rever as respostas dadas por nosso querido Chico Xavier, sob inspiração de Emannuel, no programa Pinga-fogo. Divaldo deixou tristemente claro como existe entre nós, do meio espírita, a intolerância política e o apego a instituições e ideologias que só trouxeram a desigualdade social e o empobrecimento do nosso povo.
    Não queremos ver questões políticas misturadas com a pregação do Evangelho.

  3. Ora… não há o que discordar do Divaldo… O espírita não deve se omitir quanto ao cenário trevoso que assola nosso país.
    Ele de forma alguma disse alguma inverdade… É certo para todo espírita verdadeiro que a religiosidade, a moral, família, a necessidade de se viver o momento escolhido por Deus quanto ao fato de ter nascido Homem ou Mulher… Não nos cabe agora “criar” adjetivos para qualquer desvio e achar isso natural…
    Devemos respeitar o indivíduo, mas nunca aceitar nada fora das leis naturais que são leis da Criação.
    Já até imagino os “ditos espíritas progressistas” que vivemos “novos tempos”… Triste época que até quem deveria saber de assuntos básicos acabem caindo nestas armadilhas do astral inferir… Tentam de todas as maneiras destruir o conceito de família.
    Aos espíritas que insistem em apoiar a ideologia de gênero eu digo: Estudem e se ainda persistirem neste erro, sejam sinceros e não se intitulem espíritas… e sim no máximo simpatizantes da Doutrina… o que na verdade, são apenas marionetes das forças contrárias à Jesus.
    Paz a todos.

Reply To Andrea Cancel Reply